Disjuntores DIN com certificação: entenda por que é importante

Proteção e segurança são duas palavras muito importantes quando assunto está relacionado a disjuntores.

Como já se sabe, a função dos disjuntores é a proteção contra sobrecargas elétricas ou curto-circuitos. Por isso, saber escolher o disjuntor adequado é de extrema importância para qualquer projeto ou obra.

Disjuntores DIN e NEMA

Em redes de baixa tensão podem ser utilizados dois tipos de disjuntores: DIN e NEMA.  Os disjuntores DIN garantem uma proteção maior que os disjuntores NEMA, sendo a opção mais segura, pois sua a capacidade de interrupção é maior e também desarmam mais rápido.

Por ter um disparo independente, os DIN não dependem da grandeza do curto circuito para disparar e são mais sensíveis, os tornando mais seguros. Existem outros disjuntores que dependem da grandeza do curto circuito para desarmar, acontecendo muitas vezes de trabalharem bem acima da sua capacidade, por exemplo, um disjuntor de 40A trabalhando há quase 55A sem desarmar, correndo o risco de um condutor pegar fogo e o disjuntor não desarmar a tempo, culminando em sérios riscos.

A Certificação compulsória dos Disjuntores DIN

Um fator muito importante é a certificação. Os disjuntores DIN com corrente até 63A passam por certificação compulsória, conforme a portaria do INMETRO n.° 348/2007 e ABNT NBR NM 60898:2004. Isso garante maior segurança ao consumidor, visto que para atender as normas do INMETRO, é necessário rígido e constante controle de qualidade.   

Modelos de Disjuntores DIN

  • Monopolares: são disjuntores indicados para circuitos com uma fase apenas, e geralmente é utilizado para tomadas e circuitos de iluminação que utilizem sistema monofásico.
  • Bipolares: são utilizados em circuitos de duas fases, como torneiras elétricas e chuveiros em sistemas bifásicos.
  • Tripolares: indicados para circuitos que possuem três fases, como motores que funcionam em sistemas trifásicos.

Linha de Disjuntores DIN FOCO

A linha de disjuntores DIN FOCO com corrente até 63A é certificada pelo INMETRO, e atende as normas da COPEL. Possuem alto padrão de qualidade 5 anos de garantia contra defeitos de fabricação.

Disjuntores DIN Monopolares
06A, 10A, 16A, 20A, 25A, 32A, 40A, 50A, 63A
Disjuntores DIN Bipolares
06A, 10A, 16A, 20A, 25A, 32A, 40A, 50A, 63A
Disjuntores DIN Tripolares
06A, 10A, 16A, 20A, 25A, 32A, 40A, 50A, 63A, 70A, 80A
Disjuntores DIN Tripolares 10kA
80A, 100A, 125A

A relação Lumens X Watts: como funciona a iluminação LED

“Compre LED por Lumens, não por Watts!”

A iluminação LED está ganhando mais espaço na iluminação dos lares e estabelecimentos pelo Brasil. Tudo porque são conhecidas pela promessa de gastarem menos energia e durarem mais. Mas como saber se são realmente mais eficientes? Basta comparar os lumens e os watts.

Existem várias opções de lâmpadas LED. Para iluminar o ambiente adequadamente, é importante observar essas duas unidades de medida.

Toda lâmpada possui em sua embalagem as informações de watts e lumens, seja ela LED, incandescente, fluorescente. Para fazer a melhor escolha que cumpra o objetivo de iluminar e ainda tenha bom custo-benefício, é essencial observar esses dois números.

Para entender melhor, vamos explicar qual a diferença entre lumens e watts e como elas ajudam a escolher a melhor iluminação LED para as suas necessidades.

Watts e lumens: Qual a diferença?

Os Watts (W) são a unidade de medida mais conhecida quando falamos de iluminação. Não à toa, é comum as pessoas usarem este número como único indício da eficiência de uma lâmpada. Na realidade, é um número que está relacionado ao consumo de energia de um aparelho elétrico. Tanto que os Watts são usados em diversos outros equipamentos que não emitem luz, como por exemplo os secadores de cabelo, aparelhos de som, chuveiros, aspiradores de pó, dentre outros.

Basicamente, watts são a quantidade de energia que um dispositivo precisa para exercer sua função. No caso das lâmpadas, trata-se da unidade de medida responsável para ser capaz de emitir luz. Desta forma, os Watts de uma lâmpada não podem ser utilizados para estimar a sua luminosidade.

Por outro lado, lumen (Lm) é uma unidade de medida diretamente relacionada com a luz. Ele determina a quantidade de luz que o objeto consegue emitir em todas as direções, ou seja, o seu fluxo luminoso.

Em outras palavras, quanto mais lumens uma lâmpada tiver, maior a sua luminosidade e mais forte será sua iluminação. Vale lembrar que mais lumens não necessariamente é melhor em todos os casos. Por isso, deve-se saber como usar essas unidades de medida para fazer a sua decisão.

Como escolher a iluminação LED usando watts e lumens

Para definir qual a lâmpada iluminará melhor o ambiente, é preciso olhar a sua quantidade de lumens. Já para saber qual trará maior economia, observe os watts. Assim, é a união desses fatores que determina qual alternativa é a mais vantajosa.

Os valores variam conforme marca e produto, mas em geral, uma incandescente precisa de 60 watts para emitir cerca de 800 lumens, enquanto o LED chega nesse valor gastando 10 watts. Fica evidente o baixo consumo que as lâmpadas LED necessitam.

Outro critério que se deve considerar na escolha é a quantidade de luz necessária para iluminar o ambiente. Se escolher uma opção com muito lumens, a intensidade pode incomodar os olhos. Se optar por uma fraca demais, por ser mais barata, a luminosidade pode não ser o bastante.

Para isso, serve o cálculo da iluminância, a quantidade de lumens por metro quadrado. Uma sala de estar ou quarto precisam de uma luz geral mais “leve”, cerca de 50 a 100 lumens por metro quadrado. Por outro lado, escritório e cozinha podem usar luzes mais intensas, com 300 lumens por metro quadrado.

A importância de ter produtos de qualidade para vender na sua loja de materiais elétricos

O atendimento ao cliente é, sem dúvida alguma, um dos fatores que mais contribuem para o aumento das vendas de uma loja de materiais elétricos. Afinal, quando o consumidor é atendido com excelência, costuma sair do estabelecimento feliz e satisfeito, o que o leva, muitas vezes, a fazer propaganda espontânea da loja.

Mas não menos importante que o atendimento ao cliente para o sucesso de um empreendimento é ofertar produtos de qualidade, que reflitam a seriedade de sua loja e o seu compromisso em trabalhar com soluções diferenciadas.

A seguir, entenda melhor a importância de ter produtos de qualidade para vender na sua loja de materiais elétricos!

Satisfação para o cliente

Como dissemos, ao se trabalhar com produtos de qualidade, a loja de materiais elétricos consegue atender as expectativas básicas do consumidor, que é adquirir uma solução que realmente possa lhe ser úteis no dia a dia, não apresentando, por exemplo, problemas.

Vale dizer que, de acordo com o site Reclame Aqui, uma das principais reclamações dos clientes na compra de produtos com lojas especializadas (ou não) é justamente o produto apresentar problemas ou defeitos depois de comprado.

Ao oferecer um produto de qualidade em sua loja, o cliente não só fica satisfeito como também se torna leal à empresa.

Aumento das vendas

Algumas marcas se destacam no mercado justamente pela qualidade dos produtos que oferecem.

O consumidor está cada vez mais exigente, esperando sempre a melhor experiência de compra possível. Uma loja com que oferece produtos de qualidade e um bom atendimento, percebe que o aumento nas vendas é um reflexo natural.

Conheça a Linha de Produtos FOCO

A Foco possui uma moderna linha de produtos nos seguimentos de Proteção e Iluminação. Todos os seus produtos são produzidos com alto controle de qualidade, pensando sempre na satisfação total do cliente.

Com logística ágil, a FOCO ajuda sua empresa a ganhar velocidade na reposição do seu estoque.